Sargento atinge homem com tiro na perna e relata ameaças de vizinho

Policial alega que atirou no chão apenas com objetivo de afastar pessoas que tentavam entrar em sua residência

| CAMPO GRANDE NEWS / ROSANA SIQUEIRA


Os envolvidos foram encaminhados para a Depac Centro. (Foto: Henrique Kawaminami)

Após se envolver numa briga de vizinhos por causa de som alto, um sargento da Polícia Militar morador no Conjunto Habitacional Estrela Dalva II, em Campo Grande, acabou por ferir um homem com arma de fogo. O caso foi registrado em residência situada na Rua Jesuita, onde estava ocorrendo uma festa.

A Polícia Militar foi chamada por volta das 00h30min para averiguar denúncia de som alto. Como o volume estava elevado, os policiais alertaram o dono da casa, Mário Ramires Amarilha, sobre a perturbação do sossego dos vizinhos.

Neste momento apareceu o policial militar Clóvis Gonzaga, relatando que Mario continuamente fazia festa e incomodava todos os vizinhos. Os dois então começaram a discutir, mas o proprietário nos obedeceu na solicitação de desligar o som e se comprometeu a não mais causar barulho. Em seguida cada um se dirigiu para sua casa.

Segundo o registro policial, por volta das 00h50min, os policiais foram acionados novamente para ir ao endereço, já que havia uma pessoa atingida por disparo de arma de fogo. Os policiais encontraram a vítima Elias Amorim Rodrigues coom um tiro na perna.  Em seguida a vítima foi socorrida por uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhada até a Santa Casa de Campo Grande.

Explicação - A guarnição fez contato com a vitima Clovis ele disse que estava em sua residência, quando ouviu barulhos de pessoas em frente a sua casa e que alguém chutava o portão tentando entrar. Diante da situação, o sargento afirmou ter ido até um cômodo de sua residência e pego sua arma calibre 40.

Ele afirmou que havia várias pessoas em frente de sua residência, ameaçando entrar no local. O sargento ainda alegou que as pessoas falavam que iria atear fogo na sua casa, estuprar sua esposa e que iriam matá-lo. Neste momento ele abriu o portão social e efetuou um disparo no chão com a intenção de parar a tentativa de entrarem em seu domicilio. O sargento destacou que fez apenas um disparo.

A esposa de Clovis fez contato com a guarnição comandadapara atender a ocorrência. Durante o trajeto os policiais afirmaram que Mario Ramires fez novamente ameaças, e passou a dizer que mataria o sargento Clovis. Ele inclusive reafirmou a ameaça durante a confecção do boletim de ocorrência. Os envolvidos foram encaminhados para a Depac Centro (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário).



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE