Cota para compra na fronteira sem impostos aumentará para US$ 500

Medida beneficia quem gosta de 'dar um pulo' em Ponta Porã para visitar lojas no lado paraguaio

| CORREIO DO ESTADO / RICARDO CAMPOS JR.


Ponta Porã, município sul-mato-grossense na fronteira seca com Paraguai - Arquivo/Correio do Estado

Quem gosta de 'dar um pulo' em Ponta Porã para fazer compras no lado paraguaio da fronteira poderá trazer mais produtos (ou itens mais caros) a partir do ano que vem, sem se preocupar em ser barrado pela fiscalização. O limite da isenção de impostos aumentará para US$ 500 por pessoa em janeiro de 2020.

Os novos valores foram publicados na edição desta quinta-feira (14) do Diário Oficial. A medida já havia sido anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), conforme a Agência Brasil. O governo também vai ampliar, a partir do próximo ano, o limite para compras em free shops, que vai passar dos atuais US$ 500 para US$ 1.000.

Free shops ou duty free shops são lojas localizadas em salas de embarque e desembarque de aeroportos brasileiros onde os produtos são vendidos sem encargos e tributos.

Há também o limite para compras no exterior, que é US$ 500. Assim, quem viaja ao exterior de avião poderá somar os limites, que totalizam US$ 1.500. Os valores acima das cotas de isenção podem ser tributados pela Receita Federal.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE