Feriado será de chuva, mas sol volta no fim de semana

Temperaturas devem ficar entre 18°C e 35°C no Estado

| CORREIO DO ESTADO / FÁBIO ORUÊ


Máxima em Campo Grande será de 32ºC - Foto: Álvaro Rezende/Correio do Estado

As chuvas da primavera, que atingiram grande parte de Mato Grosso do Sul ontem, devem continuar hoje, principalmente na parte norte do Estado. Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam que a convergência vigente avança e atuará mais nesta faixa de área, enquanto no sul e sudoeste já cessam as chuvas e a nebulosidade diminui progressivamente.

No Estado, o feriado de Proclamação da República (15) deve ter temperaturas entre 18ºC e 35ºC, enquanto no sábado o sol aparece com chuva isolada no norte e nordeste. A mínima para o início do fim de semana será de 19ºC e a máxima de 37ºC.

Nas mesorregiões intermediárias, chuvas isoladas especialmente entre manhã e tarde, mas o fim de semana deve ter sol e calor com temperaturas em elevação gradativa, após uma madrugada de temperaturas amenas para a época do ano. 

Em Campo Grande, esta sexta-feira será nublada, com chuva isolada. Os termômetros devem marcar entre 20ºC e 32ºC. Já o sábado será de céu parcialmente nublado a claro, com temperatura entre 22ºC e 33ºC. Ontem, o acumulado de chuva na Capital neste mês chegou a 17,4 milímetros, conforme dados do Inmet. 

Em Dourados, o feriado terá céu nublado com pancadas de chuva e trovoadas e temperaturas com variação de 19°C a 33°C; amanhã, os termômetros marcam entre 16ºC e 33ºC; no domingo (17), entre 18°C e 34°C.

Ontem, choveu aproximadamente 17,6 milímetros em Dourados. De acordo com o Guia Clima da Embrapa Agropecuária Oeste, às 4h35min houve alerta por ocorrência de rajadas com velocidade de 32 quilômetros por hora.

Já em Corumbá, o tempo também fica nublado, com pancadas de chuva isolada e temperaturas entre 22ºC e 35ºC. A umidade é alta, chegando a 85%. A chuva na cidade ontem, conforme o Inmet, foi de 8,4 milímetros.

A precipitação dos últimos dias ajudou para que os incêndios no Pantanal fossem extintos completamente, segundo o governo do Estado. Outro fator importante são as condições climáticas, que contribuem para que os índices de umidade relativa do ar permaneçam elevados em todas as áreas, com variação entre 50% e 95%, e evitam que novos focos apareçam.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE