Preso, ex-secretário de Saúde é exonerado do cargo de coordenador do Samu

Ele foi nomeado para a função em 15 de fevereiro deste ano, pouco mais de dois meses após deixar a titularidade da pasta

| ADRIANO MORETTO / DOURADOS NEWS


Reprodução

O ex-secretário Municipal de Saúde, Renato Oliveira Garcez Vidgal, teve revogada a resolução o designando coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Dourados. 

Ele foi nomeado para a função em 15 de fevereiro deste ano, pouco mais de dois meses após deixar a titularidade da pasta. 

A publicação consta no Diário Oficial desta quarta-feira (13/11), retroativa de 6 de novembro, data em que foi preso dentro da segunda fase da Operação Purificação, denominada Nessum Dorma Adsumus.

Vidigal está na Penitenciária Estadual de Dourados desde o dia 8.

Além dele, outro ex-servidor nomeado na secretária a qual fazia parte, Raphael Henrique Torraca Augusto, acabou alvo de mandado de prisão. 

Purificação

A PF aponta na segunda fase da Operação Purificação, prejuízo potencial de R$ 2 milhões à Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados) por causa de contratos fraudulentos com direcionamento de licitação. 

Em nota, é apontado ainda “indícios de que uma empresa, a qual fornecia refeições via contrato público através de dispensa de licitação para a Secretaria Municipal de Saúde, seria de propriedade de um ex-secretário de Saúde e de outro servidor público municipal”.

Os investigadores suspeitam que Raphael agiu em conluio com dois ex-sócios, Renato Oliveira Garcez Vidigal, que foi secretário de Saúde, e Ronaldo Gonzales Menezes, representante da Marmiquente, contratada pela Funsaud em 2017 via dispensa de licitação por R$ 1,8 milhão, alvo de mandado de prisão na primeira fase da operação, deflagrada no dia 12 de fevereiro deste ano.

A Polícia Federal também apura a existência de irregularidades na contratação de empresa de transporte de pacientes e de gestão. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE