Doze escolas municipais da Capital são premiadas em competição de robótica

Ao todo, 39 instituições de ensino públicas e privadas participaram do 2° Aquacup Gicitec

| CAMPO GRANDE NEWS / TAINá JARA


Os vencedores são os alunos que criam os protótipos que em menor tempo atravessam a piscina (Foto: Divulgação/Prefeitura)

Doze unidades de ensino da rede municipal de Campo Grande foram premiadas em competição de robótica realizada no último final de semana no Círculo Militar. A 2º Aquacup, corrida de protótipos de barco, contou com a participação de 39 escolas públicas e privada da Capital.

As escolas municipais “Padre Heitor Castoldi', “Governador Harry Amorim Costa', “Professor Múcio Teixeira Junior' e “Arlindo Lima', foram às vencedoras nas principais categorias, em que competiram pelo menos 20 alunos da rede municipal. Ao todo participaram 110 alunos do 1º ao 9º ano.

O professor Roberto Luiz Dambros, da Divisão de Tecnologia da Reme explicou que as duas modalidades do campeonato (apenas ida e ida e volta) tinham como objetivo pedagógico trabalhar engenhosidade, criatividade, habilidades de montagem e compreensão de problemas práticos pelos participantes.

Para ele, o bom resultado conquistado pelas escolas da Reme é em decorrência do projeto de robótica de baixo custo, desenvolvido pela Superintendência de Políticas Educacionais pro meio da Ditec e que atende dez escolas. Também participam de projetos de robótica os alunos que frequentam a Sala de Altas Habilidades que funciona na escola “Padre Heitor Castoldi'.

“Essas conquistas são um incentivo aos nossos alunos e ao desenvolvimento dos projetos de robótica Reme. No próximo ano teremos mais novidades e a ideia é que mais alunos participem', disse.

Com apenas três semanas de participação nas aulas de robótica, os alunos Gabriel Marim de Oliveira e Mizaelly da Silva Canhete, ambos do 9º ano da escola “Governador Harry Amorim Costa' venceram em duas categorias e ressaltam que estão animados com os próximos campeonatos.

Os dois começaram a participar das aulas por incentivo dos colegas. “O difícil foi montar e elaborar a parte da fiação, mas eu gosto da área de tecnologia e pretendo seguir carreira', disse Mizaelly. Também fez parte da equipe vencedora a aluna Aline Roberta dos Santos Teixeira.

Quem também construiu o protótipo em tempo recorde foi a equipe formada pelos amigos Bruno Celestino Guimarães, Otavio Augusto Loubet Gomes e Marcos Gabriel Loubet Jara, que desenvolveram o protótipo em apenas dois dias.

“Faz pouco tempo que faço as aulas, mas eu gosto de mexer em equipamentos eletrônicos, tenho curiosidade. Acredito que ajuda muto na matemática, a desenvolver o raciocínio lógico', pontuou.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE