Asilo Frei Eucário e APAE buscam apoio da Câmara Municipal para superar dificuldades

Maria de Lurdes também aproveitou para discutir a situação financeira da APAE

| ASSESSORIA DE COMUNICAçãO


Foto: Divulgação

Na manhã desta terça-feira (28),  a presidente do Legislativo Marinalva de Souza Farias da Costa e um grupo de vereadores receberam a visita da senhora Maria de Lurdes Portugal que é presidente do Asilo Frei Eucário e da APAE de Caarapó.

Durante a reunião, a presidente das entidades que estava acompanhada da irmã Antônia, apresentou a situação financeira em que duas instituições que prestam serviço social vêm enfrentando. No caso do Lar dos Idosos, a situação é um pouco mais delicada.

Segundo explicou Maria de Lurdes, o Corpo de Bombeiros  já determinou um prazo para que  o Lar dos Idosos cumpra  as exigências legais referente ao Programa de Segurança contra Incêndio e Pânico.  No entanto, por se tratar de uma entidade filantrópica, o asilo não possui recursos para a realização das obras. “Precisamos implantar o hidrante e o reservatório de água, além disso, é necessária a elaboração de um projeto para dar início às obras”, disse Maria de Lurdes.

Preocupados em uma possível intervenção judicial que pudesse resultar em suspensão das atividades do Lar, os vereadores em conjunto com o Poder Executivo vão subsidiar o investimento de R$ 78 mil reais para investimentos. O projeto de lei 038/2019 já tramita no Legislativo.   “Vamos repassar metade dos recursos com a devolução do duodécimo”, afirmou Marinalva.

Maria de Lurdes também aproveitou para discutir a situação financeira da APAE. Segundo ela, depois do corte de 30% do FUNDEB, somado aos cortes de recursos federais, a entidade que atende cerca de 90 alunos vem enfrentando dificuldades para saldar a folha.

Atualmente a APAE de Caarapó conta com 27 funcionários que desempenham as funções de zeladores, cozinheiras, professores, monitores, serviços gerais, motoristas e administrativo. “Nossa preocupação que é que com a chegada do final de ano precisamos pagar o décimo terceiro.  E sem a ajuda da Prefeitura e Câmara não sabemos como resolver os problemas, já que não temos dotação financeira”, disse a diretora.

Marinalva tranquilizou  a gestora da APAE garantindo que assim como o Asilo, a APAE terá uma atenção do Legislativo em parceria com Executivo. “Nosso prefeito André Nezzi tem um olhar especial para a questão social. Aproveito também para destacar a boa vontade dos colegas vereadores que entenderam a necessidade e importância de analisar e votar esses dois projetos de incentivo financeiro por meio do duodécimo”, finalizou Marinalva.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE