Campanha termina, mas vacinas contra sarampo continuam disponíveis

Tríplice viral está disponível em todos as UBS, UBSF e CRS da Capital

| CORREIO DO ESTADO / GLAUCEA VACCARI


Doses continuam disponíveis na Capital - Bruno Henrique / Correio do Estado

Campanha de vacinação contra o sarampo terminou nesta sexta-feira (25), com mais de três mil crianças imunizadas em Campo Grande. Apesar do fim da campanha, doses continuam disponíveis nas unidades de saúde para imunização.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), entre os dias 7 e 25 de outubro, além das mais de três mil crianças imunizadas, pais ou responsáveis de quase 10 mil outras levaram o cartão de vacinação dos pequenos aos postos para confirmar se havia necessidade de aplicar a dose.

Foco da campanha, realizada nacionalmente, era crianças entre seis meses e menores de um ano, que, pelo fato de não terem o sistema imunológico completamente formado, tendem a evoluir para casos mais graves quando contraem a doença.

A mobilização começou com baixa procura pelas doses nesta faixa etária, mas o número de pessoas que comparecem aos postos quase triplicou no restante do mês, com a vacinação liberada para dois públicos, sendo também imunizadas crianças a partir de 1 ano.

Mesmo com o fim da campanha, pais que não levaram os filhos para vacinarem podem comparecer a qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) ou de Saúde da Família (UBSF), de segunda a sexta-feira, em horário comercial, ou nos Centros Regionais de Saúde (CRSs), aos domingos e feriados, onde há disponível doses da tríplice viral.

SARAMPO

Último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) aponta que Mato Grosso do Sul tem dois casos confirmados de sarampo, sendo um homem 52 anos, morador de Três Lagoas, que viajou para Jundiaí, onde apresentou os primeiros sintomas, e um bebê de 10 meses, que foi diagnosticada após testes realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ela viajou para o estado de São Paulo, em agosto, e quando na volta para Campo Grande começou a apresentar os sintomas. 

No ano, foram notificados 81 casos suspeitos da doença no Estado, sendo dois confirmados, 31 descartados e 48 que continuam em investigação. Conforme a SES, não há circulação do vírus em Mato Grosso do Sul.

O último caso de sarampo registrado em Mato Grosso do Sul foi em 2011. Em 2015, o Brasil havia registrado o último caso da doença, no Ceará. Devido a isso, o país chegou a ganhar, em 2016, o certificado de eliminação do sarampo. Mas em fevereiro de 2018 começaram os casos importados da doença, registrados na Venezuela e que chegaram a Roraima. Em 2018 o estado de Mato Grosso do Sul teve 54 casos suspeitos de sarampo e todos foram descartados.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE