Em último julgamento da semana, Câmara de Ladário cassa quinto vereador

Agnaldo dos Santos Silva Junior foi cassado por participar de esquema envolvendo prefeito e outros seis vereadores

| MIDIAMAX


Câmara de Ladário possui apenas três vereadores que começaram mandato em 2016

A Câmara Municipal de Ladário – a 427 km de Campo Grande – cassou, nesta sexta-feira (5) o seu quinto vereador. Agnaldo dos Santos Silva Junior (PTB) integra o grupo de sete parlamentares da Casa que estavam envolvidos em esquema de pagamento de propina, conhecido como ‘Mensalinho’.

O julgamento de Agnaldo realizado durante esta sexta-feira não contou com a participação da advogada de defesa do acusado. De acordo com o coordenador dos processos da Comissão Processante, advogado George Albert de Oliveira, a defesa tinha direito a duas horas para as alegações finais, porém, nenhum representante do ex-vereador compareceu.

Aguinaldo foi o quinto julgado e cassado. Os processos foram finalizados ao longo desta semana. Foram cassados os seguintes vereadores: Agnaldo dos Santos Silva Junior (PTB), Augusto de Campos (MDB), Lilia Maria Cillalva de Moraes (MDB), Paulo Rogério Feliciano Barbosa (PMN) e Osvalmir Nunes da Silva (PSDB).

Os vereadores Vagner Gonçalves (PPS) e André Franco Caffaro (PPS) serão os últimos a serem julgados. Conforme Oliveira, Caffaro deverá passar pelo processo na semana que vem. O caso de Vagner, porém, deve demorar um pouco mais.

No meio da semana a defesa do vereador afastado alegou que não conseguiu acesso a ata da sessão de instrução e conseguiu voltar o prazo para a defesa preliminar. Na tarde desta sexta-feira foram ouvidas as testemunhas de defesa de Vagner.

Por causa deste percalço, segundo o coordenador dos processos, o julgamento deste caso deve demorar cerca de 10 dias para ocorrer. Além dos sete vereadores, o ex-prefeito Carlos Aníbal Ruso Pedroso (PSDB) também era investigado.

Ruso foi cassado pelos vereadores na segunda-feira (1º). Desde a prisão dele, a administração de Ladário é feita pelo vice-prefeito Iranil Lima Soares (PSDB).

Um esquema, que seria orquestrado pelo prefeito Ruso, pagava R$ 3 mil mensais a sete dos 11 vereadores de Ladário e levou os parlamentares para a cadeia no final de novembro de 2018. Esta denúncia foi protocolada em março no MP-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), pelo presidente da Câmara da cidade, Fábio Peixoto de Araújo Gomes.

O valor era repassado pelo prefeito para manter uma base de apoio na Casa. O salário de um vereador do município é de cerca de R$ 6 mil, segundo o presidente.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE