Dourados: Após morte, moradores programam limpeza em área nobre

A ação de limpeza terá início por volta das 13h45, com concentração inicial na Coordenadoria Regional de Educação, localizada na Rua Hayel Bon Faker, 5470 - Jardim Europa

| DOURADOS AGORA


Ponto de encontro para mutirão de limpeza será na coordenadoria de educação Foto: Reprodução

Após a morte de um garoto de 11 anos por dengue hemorrágica em Dourados, moradores de áreas nobres se reúnem neste sábado para realizar um mutirão de limpeza como forma de combater a proliferação do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

A ação beneficiará os bairros Jardim Mônaco, Alto das Paineiras e Jardim Europa. Segundo o arquiteto Fabio Luís, a região nobre é castigada pela dispersão de lixo por ser uma área distanciada e de movimentação tranquila.

Foi arrecadado para o mutirão duas caçambas, sacos de lixo e cada morador levará o seu próprio material de trabalho: vassouras, pás, enxadas, carriolas, carros e caminhonetes.

A ação de limpeza terá início por volta das 13h45, com concentração inicial na Coordenadoria Regional de Educação, localizada na Rua Hayel Bon Faker, 5470 - Jardim Europa.

Apelo

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Dourados reforça o apelo à população para que procure colaborar mais no combate a possíveis criadouros do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika, que tem feito vítimas na cidade e região.

De acordo com a coordenadora do CCZ, Rosana Alexandre da Silva, a situação é preocupante, considerando o número de casos positivos de dengue, principalmente, no município: 224 até esta quinta-feira (21).

Segundo ela, somente neste ano, até o dia 21 de março, foram notificados 513 casos de dengue em Dourados, sendo 224 confirmados como positivos e 138 negativos. Em relação à chikungunya foram 33 notificações, com sete casos positivos para a doença. Já em relação à zika não há registro de casos em Dourados, apenas quatro notificações.

"São números que preocupam, pois os casos têm aumentado, inclusive com um óbito registrado, infelizmente. O município, por meio dos agentes, tem feito a sua parte. As visitas domiciliares são intensificadas, no entanto, o poder público sozinho não está conseguindo vencer o mosquito. É preciso que a população colabore mais, mantendo seus quintais livres de focos", pediu Rosana. "Que a morte do estudante Nicolas não seja em vão. Lamentavelmente ocorreu um óbito. Que esse triste fato relembre as pessoas de que todo cuidado é pouco, que é preciso vigiar, todos os dias, e eliminar toda situação favorável para a proliferação do mosquito", assinala.

A planilha de notificações para bloqueio da dengue revela que na região do Parque das Nações II foi confirmado maior número de casos positivos de dengue: 26. O Jardim Água Boa contou com 20 casos e o BNH 4º Plano, 16. Na aldeia Jaguapiru foram 12 casos positivos de dengue e Jardim dos Estados e Campo Dourado, com 10 cada.

"Em todas as regiões da cidade há infestação. Temos que reforçar a vigilância e para isso contamos com o apoio dos moradores", reforça a coordenadora do CCZ.

Rosana conta que os agentes de endemias estão trabalhando em regime de plantão noturno, finais de semana e feriados. "É um trabalho intenso, que não para. Todo o dia estamos presentes, fiscalizando, orientando a população, repetindo sempre que cada um deve fazer a sua parte, mantendo limpos seus quintais e terrenos baldios", diz.

Populares também podem contribuir por meio de denúncia anônima sobre a existência de eventuais focos ou ambientes favoráveis em imóveis do município para a proliferação do Aedes aegipty. O telefone do CCZ é 3411-7753.

 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE