Brasil e Paraguai cercam traficantes em nova rota

Operações em dois lados da fronteira dão prejuízos milionários a traficantes

| CORREIO DO ESTADO


Brasil e Paraguai cercam traficantes em nova rota

A polícia fecha o cerco à nova rota do tráfico internacional de cocaína para o Brasil, via Paraguai, interceptando a entrada de 940 quilos do entorpecente. São aproximadamente R$ 25 milhões em  drogas, em direção à Europa, após um “passeio logístico” em território paraguaio. Tradicionalmente, a cocaína boliviana entrava por Corumbá, de onde seguia para os portos marítimos e depois para a Europa. Porém, o acirramento da fiscalização pela BR-262 teria forçado os traficantes a saírem pelo Paraguai, entrando posteriormente em Mato Grosso do Sul, por Ponta Porã ou outros municípios da fronteira seca.

Ao enviar o entorpecente para fora, os lucros do crime organizado tornam-se alarmantes. A cocaína é adquirida nos países produtores – como Bolívia, Peru e Colômbia – por valores que variam de U$S 2,5 mil a U$S 3 mil o quilo (em torno de R$ 11,4 mil). O valor se refere à droga “tipo exportação”, com pureza acima de 90%, exigência no exterior.

Já na Europa, o quilo de cocaína é vendido por cerca de € 25 mil a € 30 mil (em torno de R$ 110 mil). Desse valor, são abatidos custos de transporte e logística. Descontadas as despesas, a estimativa da polícia é de que a exportação de um quilo de cocaína renda cerca de R$ 26 mil.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE