HU-UFGD lança programa para reduzir fila de espera pro procedimentos de patologia cervical

A iniciativa é uma das ações encabeçadas pelo hospital durante o mês de conscientização conhecido como Outubro Rosa

| ASSESSORIA


HU-UFGD lança programa para reduzir fila de espera pro procedimentos de patologia cervical

Uma parceria firmada entre o Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) e a Secretaria Municipal de Saúde de Dourados pretende reduzir ao máximo a fila de pacientes que aguardam por um procedimento de patologia cervical, a fim de identificar doenças que se manifestam no colo do útero e podem desencadear processos cancerosos, caso não tratadas.

Iniciado na última semana, o Programa de Atendimento à Patologia Cervical funcionará da seguinte maneira: por meio do Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), a Secretaria Municipal de Saúde encaminhará ao HU-UFGD as pacientes que já foram atendidas na rede pública e receberam o indicativo de patologia cervical.

Já no hospital, as mulheres terão atendimento inicial no ambulatório, onde serão avaliadas pelo profissional médico para análise de que procedimento melhor se encaixa em seu quadro. Nesta consulta, já serão solicitados exames complementares e pr-operatórios, se for o caso. O ambulatório do Programa funcionará todas as quintas-feiras e tem o objetivo de atender pelo menos cinco pacientes a cada semana.

Biópsia

Após a triagem feita no ambulatório, as pacientes serão submetidas à biópsia por meio de conização, método cirúrgico pelo qual um pedaço, em formato de cone, é retirado da área prejudicada para ser analisado. Esse procedimento, por sua vez, pode ser feito de duas formas, de acordo com a condição de cada mulher: a frio, com o uso de bisturi, ou em uma cirurgia de alta frequência (CAF).

Para execução dos procedimentos, cada um dos três cirurgiões ginecológicos do HU-UFGD terá um horário por semana no Centro Cirúrgico, de forma a serem realizadas cerca de doze cirurgias por mês. Além disso, a análise do material retirado será feita no próprio hospital, que disponibilizará o exame anatomopatológico.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, em Dourados, pelo menos 123 mulheres aguardam pela conização em função de patologia cervical. O superintendente do HU-UFGD, Ricardo do Carmo Filho, afirma que é possível zerar a fila no próximo ano e, ainda, seguir com o programa para o atendimento dos novos casos que surgirem. “O lançamento do programa casa com a época de conscientização, que é o Outubro Rosa, mas é uma ação que tem objetivo de ser permanente, para contribuir com a detecção precoce de doenças de colo de útero”, assegura.

Mutirão

Ainda em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde, o HU-UFGD participou, no início do mês, de um mutirão para avaliação de pacientes que aguardam por cirurgias ginecológicas. Realizado no dia 4 de outubro, a ação atendeu 41 mulheres que estavam na fila do Sisreg em Dourados.

Com a participação de quatro médicos e quatro residentes de Ginecologia e Obstetrícia do HU-UFGD, a atividade possibilitou que várias pacientes já saíssem do Centro de Atendimento à Mulher (CAM) com encaminhamentos para os exames pré-operatórios, agilizando o processo cirúrgico.

Saúde da mulher no shopping

Também como parte das ações em prol do Outubro Rosa, 36 alunos do curso de Medicina, integrantes de três ligas acadêmicas (Saúde Coletiva, Cirurgia Plástica e Cardiologia), realizaram uma atividade de prevenção neste sábado (20), das 10 às 22 horas, no Shopping Avenida Center.

Divididos em grupos, os estudantes ofertaram testes de glicemia, aferição de pressão arterial, diagnóstico nutricional e orientações sobre cuidados e prevenção ao câncer de mama. Todas as atividades tiveram como público-alvo mulheres de todas as idades. A ação foi uma parceria entre o HU, a UFGD – por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEX) – e o shopping.

“Café Rosa”

Voltado às colaboradoras, residentes e acadêmicas do HU-UFGD, no dia 30 de outubro, às 8h30, no auditório do hospital, acontece o “Café Rosa”, evento no formato de roda de conversa com a participação de profissionais de saúde e representantes de instituições de combate ao câncer em Dourados.

O objetivo é que o grupo possa bater um papo informal sobre saúde da mulher, com oportunidade para esclarecimento de dúvidas e troca de experiências. Ao final, será servido um café da manhã em confraternização ao momento. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE