Copeiro pede demissão e aciona polícia ao ter cabelo comparado a pelos pubianos

Rapaz trabalhava em churrascaria da Afonso Pena e diz ter sido ofendido pelo mesmo gerente duas vezes

| ANA PAULA CHUVA / CAMPO GRANDE NEWS


Pablo no dia 4 de maio quando decidiu pedir demissão após ofensas. (Foto: Reprodução)

Pablo Kallew dos Santos, 23 anos, procurou a polícia após sofrer injúria racial na churrascaria onde trabalhava na Avenida Afonso Pena, no Bairro Chácara Cachoeira. Segundo ele, o chefe comparou o cabelo afro de Pablo ao 'cabelo do saco', como se fosse igual aos pelos pubianos.

As ofensas teriam partido do gerente do local e após passar pela situação duas vezes, o rapaz decidiu pedir demissão e registrar o caso na delegacia.

Nas redes sociais, Pablo chegou a publicar o relato do caso. No texto ele diz que procurou o emprego no local após indicação de um amigo que já trabalhava no local.

Com uma semana de empresa, ele e outro colega estariam com o boné virado para trás e então o gerente teria chamado dito que não havia contratado maloqueiros para trabalhar no local.

“Ele falou alto no meio do salão para virarmos para frente o boné que ele não tinha contratado malando e que estávamos parecendo maloqueiro', disse no relato.

Constrangido, Pablo afirma que depois disso decidiu usar uma touca preta ao invés do boné. No entanto no dia 4 de maior, por volta das 10h40 quando chegou para trabalhar de cabelo solto passou pelo gerente e foi ao banheiro se arrumar para trabalhar.

“Coloquei minha touca e fui trabalhar e em seguida ele veio em minha direção com ar de sarcasmo e sorrindo perguntando se eu sabia quem eu lembrava quando cheguei de cabelo solto e então disse que eu lembrava o cabelo do saco e saiu rindo', afirmou Pablo.

O copeiro conta ainda que dois garçons presenciaram a cena e ficaram assustados com o que aconteceu. Depois disso, decidiu pedir demissão e procurar a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, onde o caso foi registrado como injúria .

“Depois da segunda vez que fui ofendido, decidi pedir demissão para que não acontecesse novamente. Acho que se eu escolhesse ficar teriam acontecido outras vezes e já fui direto procurar a polícia. Espero que a Justiça seja feita', contou Pablo ao Campo Grande News.

A reportagem tentou contato tanto com a churrascaria quanto com o garçom e aguarda o retorno.


Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do Canaldaqui (67) 98186-1999

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100010531782535

Clique aqui e receba notícias do Canaldaqui no seu WhatsApp!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE