Produtos apreendidos pela Polícia Federal vão para a agricultura familiar de Ponta Porã

| PONTA PORã NEWS / POR ASSESSORIA


Prefeitura Municipal e Polícia Federal destinam carga apreendida para fomentar a agricultura familiar.(Foto:Assessoria)

Na última sexta-feira, ocorreu na sede da Associação dos Produtores de Leite do Assentamento Itamarati (APLAI), o lançamento do projeto-piloto organizado pela Prefeitura de Ponta Porã, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Regional, Indústria, Comércio e Turismo (SDICT), em parceria com a Delegacia de Polícia Federal de Ponta Porã, e outras instituições como AGRAER, Senar/Embrapa, IFMS, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (CMDR), Subprefeitura da Nova Itamarati.

O projeto-piloto consiste em realizar a destinação adequada de produtos como soja, milho e fécula de mandioca, encontrados nas cargas ilícitas, para as propriedades da agricultura familiar dos assentamentos e cooperativas do munícipio de Ponta Porã. Nesta primeira ação, foi destinada para APLAI, uma carga de fécula de mandioca, que será utilizada na formulação de ração animal, conforme orientações técnicas da AGRAER e SENAR/EMBRAPA.

Conforme relatou o Secretário de Desenvolvimento Regional, Caio Augusto, a ideia surgiu a partir de uma reunião na sede da Delegacia de Polícia Federal de Ponta Porã. “Aventamos a possibilidade dessas cargas, principalmente de grãos perecíveis, como soja, milho, fécula, serem destinadas aos nossos assentados e cooperados da agricultura familiar, para que estes materiais auxiliassem na alimentação animal desses produtores, reduzindo seus custos de produção e com isso possibilitando o aumento da sua lucratividade'.

A partir de então, uma verdadeira força-tarefa entre as instituições foi organizada, para que a carga de fécula de mandioca fosse destinada e utilizada na formulação desta suplementação alimentar para os animais. Desta forma, a fécula passou por uma avaliação técnica do SENAR/MS e da AGRAER, e após a confirmação da qualidade do produto, desenvolveu-se uma fórmula para misturá-la ao capim capiaçú e também ao concentrado que é fornecido ao gado leiteiro, para isso a Embrapa Agropecuária Oeste também contribuiu com as orientações técnicas.

Idoso sem comorbidades morre com Covid-19 em Ponta Porã

Em evento híbrido, Governo forma 254 novos sargentos da Polícia Militar

Nesta direção, Fernanda Oliveira, analista técnica do Sistema Famasul e atualmente diretora-executiva da APLAI, acrescenta que “essa iniciativa demonstra o importante papel do Senar/MS no incentivo ao associativismo e cooperativismo. A APLAI, por exemplo, surgiu em 2015 a partir da Assistência Técnica e Gerencial e suas diretrizes de gestão e boas práticas de produção e sustentabilidade'.

Por outro lado, Ezequiel dos Santos, Presidente da APLAI, destacou a importância da ação para os associados. “Esse material (fécula) irá nos auxiliar muito na alimentação do gado leiteiro, e trará uma redução significativa nos nossos custos, reduzindo os custos podemos ter um lucro melhor, que é muito importante para nós, principalmente nesses tempos difíceis de pandemia'.

Também estiveram presentes na ação, Izidro dos Santos (Diretor da IFMS/Ponta Porã), Antônio Carlos Peixoto (Coordenador Regional da AGRAER), Vitor Carlos Neves (Presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural), Natália Velasques (Sub Prefeita da Itamarati), além da equipe técnica da SDICT.

Esta ação inovadora, envolvendo uma série de entidades em prol dos agricultores familiares, reitera ainda mais o compromisso do prefeito Hélio Peluffo com os assentados e cooperados do município de Ponta Porã, dando suporte e apoio para o fortalecimento da agricultura familiar.


Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do Canaldaqui (67) 98186-1999

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100010531782535

Clique aqui e receba notícias do Canaldaqui no seu WhatsApp!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE