Ex-diretor do Detran-MS, Gerson Claro defende contrato investigado pela Polícia Federal

Deputado disse que emissão de CNH por terceirizada é 'padrão' pelo país

| ITAPORã AGORA/MIDIMAX


Curta nossa Fan Page e fique por dentro de tudo que acontece em Itaporã, Região, Brasil e Mundo!

O deputado estadual Gerson Claro (PP), que foi diretor-presidente do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) no primeiro mandato do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), defendeu o contrato com a ICE Cartões Especializados, investigada pela PF (Polícia Federal).

Na quarta-feira (26), a corporação deflagrou a sétima fase da Lama Asfáltica, intitulada Operação Motor de Lama. As investigações apontaram um esquema de favorecimento à ICE.

“Tomei conhecimento [da operação] pela imprensa. Quando fui diretor-presidente, trabalhamos para reduzir o valor do contrato. Notificamos a empresa, trocamos. Não teve nada disso na nossa época”, disse Claro.

Gaeco cumpre mandados em Água Clara nesta quinta-feira

Serviços do Detran-MS saltam com alta da Uferms e emplacamento aumenta R$ 92 em um ano

Segundo o parlamentar, os Detrans em todo o País têm como padrão a terceirização da emissão da CNH (Carteira Nacional de Habilitação). “É assim em todo o Brasil, são empresas que emitem, os Detrans não fazem isso. Trabalhamos para que o serviço chegasse a Dourados e Três Lagoas e que o preço baixasse”, finalizou.

Midimax



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE