Método internacional de combate à Dengue, Zika e Chikungunya será testado em Campo Grande

O projeto consiste em inserir no mosquito Aedes egypti com uma bactéria que impede o desenvolvimento das doenças

| MIDIAMAX


Aedes egypti. (Foto: Ministério da Saúde | Divulgação)

Campo Grande será a primeira cidade de Mato Grosso do Sul onde será testado um novo método para combate às doenças transmitidas: o Wolbachia, uma bactéria que começará a ser produzida nesta segunda-feira (23).

O método consiste em implementar a bactéria Wolbachia –presente em 60% dos insetos da natureza – nos mosquitos Aedes egypti, fazendo com que eles percam a capacidade de desenvolver a Dengue, Zika e Chikungunya.

Líder do Método Wolbachia no Brasil e pesquisador da Fiocruz, Luciano Moreira explica que o projeto é resultado da descoberta do WMP (World Mosquito Program) de que o mosquito Aedes aegypti, quando contém a bactéria Wolbachia, tem sua capacidade reduzida de transmitir as três doenças citadas.

Em dia D, mais de 100 profissionais vistoriam imóveis contra dengue em Campo Grande

Mesmo com UTI reduzidas no HRMS, Sesau diz que leitos são suficientes para pacientes

O pesquisador ainda explica como o Método vai funcionar. “A iniciativa trabalha da seguinte maneira: é feito um trabalho de engajamento para explicar sobre o projeto e tirar todas as dúvidas, e assim ter o apoio da população. Depois entra a fase de liberação dos mosquitos por determinado período, cerca de 16 semanas'.

“Esses mosquitos vão se cruzando na natureza e, com o passar do tempo, haverá uma grande porcentagem do mosquito naquela localidade com a Wolbachia, com isso esperamos ter uma redução das doenças e podemos proteger a população', finalizou.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende disse que a iniciativa deverá ser implementada em outras cidades do estado, como Corumbá, Dourados e Ponta Porã.

A produção do mosquito com Wolbachia será realizada pela Biofábrica instalada na sede do Lacen-MS (Laboratório Central de Mato Grosso do Sul).

‘Aos primeiros sintomas, procure um médico’: Bolsonaro orienta sobre como agir com…

Chapare: Confira quais são os sintomas do vírus letal encontrado na Bolívia

MS em alerta: Confira o que já se sabe sobre novo vírus encontrado na Bolívia

O método é financiado pelo Ministério da Saúde e conduzido pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), implementado em Campo Grande com apoio da SES (Secretaria de Estado de Saúde) e da SESAU (Secretaria Municipal de Saúde).



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE