Com novos focos de queimada, mais 10 bombeiros reforçam combate de incêndios no Pantanal

Serra do Amolar registrou novas frentes de queimadas nos dois últimos dias.

| MIDIAMAX


Com falta de chuva, novos focos ressurgem no Pantanal. (Foto: Divulgação/Ibama)

Com as novas frentes de queimadas que atingiram a Serra do Amolar, em Corumbá, 10 militares do Corpo de Bombeiros chegaram, nesta quarta-feira (4), para reforçar o combate aos incêndios no Pantanal. Os combatentes são de bases de Aquidauana, Corumbá e Jardim.

Segundo o analista ambiental do Ibama (analista ambiental do instituto, Alexandre Pereira), Alexandre Pereira, inicialmente, não será feito o pedido de reforço de mais brigadistas ou militares, e espera que os focos sejam extintos nos próximos dias.

“Ontem (3), já tinham subido 7 brigadistas do PrevFogo, com mais 8 que já estavam lá em cima, totalizando 25 combatentes e outros brigadistas do homem pantaneiro. Estamos com aproximadamente 30 pessoas envolvidas no combate', disse.

Bombeiros enviam reforços para combater novo incêndio na Serra do Amolar no Pantanal

Cuiabá suporta pressão, segura o 0 a 0 e elimina o Botafogo na Copa do Brasil

Difícil acesso

O grupo de bombeiros percorre cerca de 300 km de barco para conseguir chegar aos locais críticos que são de difícil acesso. “Vamos reavaliar a situação, com sobrevoos e levantamentos de campo, para em caso de necessidade de reforçar o combate com o apoio inclusive aéreo', informou o coordenador da operação, tenente-coronel bombeiro Luciano Alencar, comandante do grupamento de Corumbá.

As equipes iniciaram deslocamento fluvial, com percurso que deve durar de cinco a seis horas até o local da queimada, a 170 quilômetros do município de Corumbá.

O monitoramento das áreas também está sendo feito com apoio do helicóptero do instituto no Parque Nacional de Mato Grosso, e próximo ao Rio Paraguai. Ainda segundo o analista, o fogo ressurgiu vindo do estado vizinho e ultrapassando a bacia. O outro foco foi ocasionado por um raio.

Aos poucos, verde e ‘vida’ no Pantanal retornam com chegada de chuvas

A ‘passos lentos’, nível do Rio Paraguai sobe, mas continua abaixo do normal

Fotógrafo de MS flagra antas em nado sincronizado no Rio da Prata

Mesmo intensas, as chuvas registradas ao entorno da Serra do Amolar não foram suficientes para garantir a umidade dos locais castigados pela seca. O nível do Rio Paraguai, que é a bacia do bioma pantaneiro, necessária para o alagamento das vegetações continua com níveis abaixo do normal.


Envie sugestões de notícias para o WhatsApp do Canaldaqui (67) 98186-1999

Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100010531782535

Clique aqui e receba notícias do Canaldaqui no seu WhatsApp!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE