Operação entre MS e 3 estados já cumpriu 322 mandados de prisão

Secretário de Justiça e Segurança Pública de MS participou de coletiva nesta quinta-feira (29)

| MIDIAMAX


No MS, atenção é para fronteiras com Paraguai e Bolívia. (Foto: Divulgação PRF)

Mato Grosso do Sul registrou um aumento de 104% na apreensão de drogas nas fronteiras com Paraguai e Bolívia, do dia 1º de janeiro até esta quarta-feira (28). Ao todo foram 654 toneladas, segundo o secretário de estado de Justiça e Segurança Pública Antonio Carlos Videira.

Ele participou nesta quinta-feira (29) da coletiva de imprensa sobre a Operação Divisas Integradas 3. Sobre Mato Grosso do Sul, ele afirmou que a operação, que acontece em parceria com os estados de Minas Gerais, Paraná e São Paulo, “aumenta a sensação de segurança para a população'.

Ao lado dele, participaram os secretários de Segurança Pública de São Paulo, general João Camilo Pires de Campos, do Paraná, coronel Romulo Marinho Soares e subsecretário de Inteligência e Atuação Integrada de Minas Gerais, general Ramon Marçal da Silva. Videira afirmou que Porto Murtinho e Ponta Porã devem receber “em breve', radar para monitoramento de aeronaves irregulares que trafegam em baixas altitudes e são usadas para o transporte de cocaína, armas e munições.

Sargento, advogado e empresário: presos em operação estariam com 75 mil fotos de pornografia infantil

Deputado estadual Lucas de Lima testa positivo para covid-19

“A instalação do radar em Corumbá já tem gerado apreensão de diversas aeronaves. Uma única pode transportar mais de 700kg de cocaína', disse em relação ao equipamento inaugurado em agosto desse ano, na Cidade Branca.

O secretário de Segurança Pública do Paraná, coronel Romulo Marino,  destacou que, apesar de não ser foco da operação, a presença de tropas federais, como exército, marinha e aeronáutica, além das polícias rodoviárias federais e estaduais, em locais que são frequentemente utilizados para o transporte de ilícitos, podem contribuir para a prisão de traficantes procurados, como André do Rap. “Nas fronteiras com Mato Grosso do Sul e São Paulo, de ontem para hoje foram cumpridos 150 mandados. Apesar de não ser o foco, tem grande chance de termos uma surpresa e prendermos foragidos, como o André do Rap', afirmou.

Participam as secretarias estaduais de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) e do Paraná (SSP-PR) e as Secretarias de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp-MG) e do Mato Grosso do Sul (Sejusp-MS), as respectivas polícias Militar, Civil e perícia, bem como o Corpo de Bombeiros e departamentos de inteligência.

Assassino do motorista de aplicativo Rafael Baron será julgado em novembro

Pelo telefone, Bombeiros auxilia em parto de bebê em cidade de MS

 Negada liberdade a ‘justiceiro’ que assassinou suspeita de furtos no São Conrado

Também prestam apoio o Exército Brasileiro, a Marinha do Brasil, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Federal e a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

A força-tarefa está prevista para durar até a próxima segunda-feira (2) e, segundo o secretário de Segurança Pública de São Paulo, general João Camilo Pires de Campos, já foram cumpridos 322 dos 325 mandados de prisão expedidos.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE