Alvo do Gaeco, procurador flagrado com munições em casa é solto após pagar fiança

Operação apura esquema fraudulento na compra de produtos via dispensa de licitação para prevenção à pandemia

| MIDIAMAX


Procurador foi um dos alvos do MPE durante a Operação Contágio, deflagrada nesta quarta-feira. Imagem: Dourados News

Alvo do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), o procurador-geral do município de Dourados, Sérgio Henrique Martins de Araújo, pagou fiança e responderá pela posse irregular de munições em liberdade. Na casa dele, o Gaeco encontrou 16 objetos calibre 38.

O procurador foi um dos alvos do MPE (Ministério Público Estadual) dentro da Operação Contágio, deflagrada nesta quarta-feira (15) em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, que apura suposto esquema fraudulento na compra de produtos via dispensa de licitação para prevenção à pandemia do novo coronavírus.

Sérgio pagou fiança de cinco salários mínimos, conforme divulgou o Dourados News.

Com 111 casos confirmados, Ladário registra 2 mortes por coronavírus

Campo Grande abre licitação de R$ 2 milhões para materiais de combate ao coronavírus

A operação tem como alvo organização criminosa formada por servidores públicos e também particulares, que estariam atuando em diversas fraudes em dispensas de licitação para aquisição de produtos e equipamentos no enfrentamento ao coronavírus em Dourados. O município é o segundo com maior número de casos da Covid-19, com mais de 3.840 casos.

Pela manhã, o Gaeco esteve na casa dele e no escritório de advocacia que mantém sociedade, além da Procuradoria-Geral do Município, no CAM (Centro Administrativo Municipal).

Além dele, a ‘Contágio’ mirou a ex-secretária de Saúde, Berenice de Oliveira Machado e o secretário Municipal de Fazenda, Carlos Francisco Dobes Vieira. Os três, mais servidores públicos municipais foram afastados das atividades na prefeitura, conforme mandado expedido pela Justiça.

Domingo teve 300 flagrados após toque de recolher e até rave rolando em Campo Grande

Após decisão impedir transferência para presídio, delegacia de MS enfrenta superlotação

Operação contra quebra de quarentena prende 7 pessoas e manda 711 para a casa

Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e 12 com a fixação de medidas cautelares criminais em desfavor dos investigados. As ações ocorreram em Dourados e Campo Grande, segundo o MPE.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE