Bolsonaro esteve com 48 políticos e empresários nos últimos dias

Período de incubação do novo coronavírus varia de 2 a 14 dias, mas é mais comum que os sintomas se manifestem entre o 5º e o 7º dia após a infecção

| ITAPORã AGORA/R7


Diagnosticado com covid-19 nesta terça-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro se encontrou com ao menos 48 pessoas, entre ministros, deputados, o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, empresários e presidentes de times de futebol, nos últimos oito dias, segundo sua agenda oficial.

O período de incubação do novo coronavírus varia de 2 a 14 dias, mas é mais comum que os sintomas se manifestem entre o quinto e o sétimo dia após a infecção, segundo os estudos mais recentes.

Ainda não se sabe ao certo a partir de qual dia o paciente pode transmitir a doença, mesmo sem manifestar sintomas, mas diversos estudos já mostraram que o indivíduo pode, sim, repassar o vírus para outras pessoas no período pré-sintomático.

Leia mais: Bolsonaro cancela agenda após dizer que está com covid-19

Em um estudo publicado na Nature Medicine em abril, por exemplo, os pesquisadores acompanharam um grupo de 94 pessoas com diagnóstico positivo de covid-19 e verificaram que quase metade (44%) foi infectada por pessoas sem sintomas.

Em alguns dos encontros, o presidente não usou máscaras e apertou as mãos ou abraçou alguns dos seus interlocutores. Na sexta-feira (3), houve um almoço no Palácio da Alvorada com ministros e empresários - também com apertos de mão, abraços e sem máscaras.

Articulado pelo presidente Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, o encontro reuniu Luiz Carlos Trabuco, do Bradesco, Francisco Gomes, da Embraer, Rubens Ometto, da Cosan, e Lorival Nogueira, da BRF.

No sábado (4), Bolsonaro foi à residência do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, com ministros e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República. Ele não usou máscara e se confraternizou com abraços, de acordo com imagens divulgadas pela Presidência da República. Na noite de segunda-feira, a embaixada informou que Chapman também faria o exame para covid-19.

Segundo a agenda oficial, o presidente esteve com seis ministros e um secretário especial na segunda-feira (6). Alguns assessores, como os ministros Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), também realizaram o exame e despacharam no Palácio do Planalto nesta terça-feira.

As reuniões na segunda-feira foram com Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Levi Mello (Advocacia-Geral da União). A última agenda ocorreu às 16h40 com o secretário especial de Cultura, Mário Frias.

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), também se reuniu com Bolsonaro, mas em um encontro reservado fora da agenda. O parlamentar aguardava os resultados do exame do presidente para se submeter a um teste. Major Vitor Hugo e Bolsonaro almoçaram juntos no Palácio do Planalto em um encontro fora da agenda. O parlamentar entrou na lista de cotados para o Ministério da Educação.

Bolsonaro revelou nesta terça-feira que contraiu o novo coronavírus. O exame foi feito na última segunda-feira (6). Ao contrário do que ocorreu nas outras vezes, quando usou codinomes Bolsonaro utilizou seu próprio nome neste exame.

Copyright © Estadão. Todos os direitos reservados.

R7



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE