Quarta, 14 de novembro de 2018
(67) 98186-1999 - [email protected]
Polícia

06/11/2018 ás 08h32

30

Aparecido Francisco

Mato Grosso do Sul / MS

PM Cumpre mandando de prisão contra itaporanense Wilian Benites, acusado de estupro
William Benites, teria abusado da enteada com Síndrome de Down
PM Cumpre mandando de prisão contra itaporanense Wilian Benites, acusado de estupro
PM Cumpre mandando de prisão contra itaporanense Wilian Benites, acusado de estupro
Um homem de 29 anos foi preso nesta segunda-feira (05) em  Dourados, contra ele existia uma mandado de prisão apos denuncia que estaria abusando sexualmente de um criança que tem síndrome de Down.

 

Segundo informações a denuncia de estupro de vulnerável teria sido feita pela mãe da criança. O mandado de prisão preventiva foi cumprido por agentes da Rádio Patrulha de Dourados.

 

Wiliam Aliendre Benites, 29 anos foi preso na rua da Prosperidade no Bairro Jóquei Clube no município de Dourados, no momento que a policia chegou na residencia onde ele se encontrava, ele estaria maneando um telefone celular e participando de um grupo de Wahtasapp e nesse grupo foi encontrado imagens e videos  de criança fazendo sexo. Benites foi preso pelo mando de prisão em aberto pela comarca de Itaporã  e também foi autuado em flagrante por armazenar imagens de crianças fazendo sexo.



Wiliam participava de um grupo no aplicativo whatsapp denominado ‘caldo de polo’, onde continha várias cenas de menores, incluindo não só adolescentes, como também crianças.

 

Benites afirmou não saber como estava no grupo e contou ter saído por várias vezes, porém, era recolocado novamente pelos administradores. O celular foi apreendido e encaminhado para a perícia.

 



O Art. 240 do ECA estabelece que quem produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente, está sujeito à reclusão de 4 a 8 anos e multa. Da mesma forma, é julgado aquele que agencia, facilita, recruta, coage, ou aja de forma a intermediar a participação de criança ou adolescente nas cenas referidas no artigo, ou ainda quem com esses contracena.

 

Armazenar por qualquer meio fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente também é crime. A pena neste caso é reclusão de 1 a 4 anos e multa.



 

FONTE: Itaporã Agora

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium