Sexta, 24 de novembro de 201724/11/2017
(67) 98186-1999
Parcialmente nublado
25º
27º
36º
Teresina - PI
Erro ao processar!
BRASIL
Poderes não se reponsabilizam e remédios ficam fora do SUS
Mesmos dez medicamentos são solicitados através da Justiça, mas ninguém quer arcar com custos
Jornalista Aparecido Francisco Mato Grosso do Sul - MS
Postada em 13/11/2017 ás 07h31 - atualizada em 13/11/2017 ás 07h41
Poderes não se reponsabilizam e remédios ficam fora do SUS

Maioria dos fármados não disponíveis de forma gratuita, custam mais que R$ 100 e são os dez mais solicitados mês a mês

Somente este ano, a prefeitura de Campo Grande já investiu R$ 4 milhões no cumprimento de decisões judiciais relacionadas à saúde e 80% delas, obrigam o município a comprar medicamentos que não fazem parte da lista gratuita do Sistema Único de Saúde (SUS). Curioso, é que com frequência, os mesmos 10 remédios são solicitados para compra através de decisões judiciais. A situação gera briga entre os poderes Executivo e Judiciário pela padronização da lista do SUS, mas enquanto isso, os remédios ficam longe de acesso da população.  


O que acontece é que alguns  tratamentos de saúde exigem uso de medicamento que não faz parte da lista gratuita e assim, pacientes buscam a Defensoria Pública Estadual para ingressar com ação na Justiça, para que os poderes estadual ou municipal se responsabilizem pela compra do fármaco.  São cerca 80 novos processos por mês, segundo a Defensoria. 


A situação poderia ser solucionada se houvesse boa vontade e mesmo recursos, para que os governos federal, estadual ou municipal assumissem a compra dos dez mais solicitados, mês após mês. Tanto a Secretaria Estadual de Saúde (SES), Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau) e Defensoria confirmam a lista, mas a padronização deles dentro do SUS é considerado um jogo de empurra-empurra pelo defensor, Hiram Nascimento Cabrita. 

FONTE: Correio do Estado
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium